Luiz Marinho cobra sensibilidade do presidente Lula

O presidente da Central Única dos Trabalhadores CUT, Luiz Marinho, disse ao chegar ao Palácio do Planalto para uma audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que espera conseguir dele "a sensibilidade demonstrada durante toda a vida" em resposta à reivindicações da Central para a reforma da Previdência Social. Marinho comentou que o principal pleito da CUT é a supressão do dispositivo pelo qual os benefícios do servidor que se aposentar antes de completar a idade mínima sofrerão redução de 5% em relação a cada ano que estiver faltando. Outra reivindicação da entidade é a de aumento aumentar no teto previsto para as aposentadorias dos servidores, que ficou em R$ 2.400 no substitutivo do relator da proposta de reforma previdenciária, deputado José Pimentel (PT-PE). "Isso seria justo e combinaria com a visão que o presidente sempre mostrou para o País. Portanto, vamos cobrar isso dele", disse. Marinho acrescentou, porém, que a CUT se propõe a analisar alternativas que venham a ser sugeridas pelo governo. "Tenho experiência bastante de negociação, mas, infelizmente, o governo não exerceu para valer a negociação com o movimento sindical no que diz respeito à Previdência", acrescentou. Da audiência de Marinho com Lula participa também o sindicalista João Felício, ex-presidente da CUT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.