Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Luís Fernando Serra e Graça Lima são cotados para chefiar Itamaraty

Serra foi embaixador na Coreia do Sul, enquanto Graça Lima foi subsecretário de Assuntos Econômicos

Adriana Fernandes e Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

07 Novembro 2018 | 20h08
Atualizado 08 Novembro 2018 | 11h53

BRASÍLIA - Os embaixadores Luís Fernando de Andrade Serra, que até meados do ano chefiava a representação do Brasil na Coreia do Sul, e José Alfredo Graça Lima, ex-subsecretário de Assuntos Econômicos, são cotados para ocupar o posto de ministro das Relações Exteriores, segundo fonte da equipe de transição.

Serra foi, até meados do ano, embaixador do Brasil na Coreia do Sul. Segundo pessoas próximas, ele conheceu o presidente eleito, Jair Bolsonaro, durante o tour do então pré-candidato pela Ásia no início deste ano. Houve afinidade entre os dois. O embaixador encontra-se no Brasil, aguardando ser designado para alguma função na estrutura do ministério em Brasília.

Bastante cotado também está o embaixador José Alfredo Graça Lima, um diplomata de grande projeção em temas econômicos. Ele foi representante permanente do Brasil junto à União Europeia e seu último posto no Itamaraty antes de aposentar-se, em 2016, foi o de subsecretário para Assuntos de Integração, Econômicos e Comércio Exterior. Entre suas atribuições, estava a supervisão da atuação brasileira na Organização Mundial do Comércio (OMC), do Mercosul.

Os dois preenchem o critério informado na terça-feira por Bolsonaro: são diplomatas de carreira. Têm também experiência no campo econômico, que deve ser a linha-mestra da política externa do novo governo: uma maior inserção no comércio mundial, por meio de acordos bilaterais e multilaterais. Bolsonaro pretende escolher seu chanceler ainda esta semana. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.