Luciana Genro volta a criticar reforma da previdência

A deputada federal Luciana Genro (PT-RS) fez duras críticas à reforma da previdência encaminhada pelo governo federal ao Congresso, durante o lançamento da campanha salarial da Central Única dos Trabalhadores (CUT). ?A reforma do governo não toca em privilégios, só tira benefícios dos trabalhadores", disse. A campanha está sendo realizada na Praça da República, região central de São Paulo. Para a deputada, a proposta " pisoteia" no princípio de que o estado deve oferecer bons serviços à população, já que não promove qualidade de emprego aos servidores. "É um escárnio ter um teto R$ 17 mil perto do teto proposto aos trabalhadores do serviço público. O governo age como se fosse o servidor público o responsável pelos problemas do País", discursou. Para ela, ao invés de alterar o sistema previdenciário do funcionalismo, o governo deveria visar os bancos e interromper o pagamento dos juros das dívidas internas e externas do País. ?Os valores obtidos com 30 anos de reforma da previdência são os mesmos pagos pelo governo de juros da dívida a cada três meses", argumentou. Luciana se recusa a aceitar a decisão da direção executiva do PT, que determinou que ela e outros parlamentares que passam por processo de análise de expulsão do partido pela Comissão de Ética deixem de participar de eventos públicos. "Eu, o deputado Babá (João Batista) e a senadora Heloísa Helena, estamos firmes contra essa reforma da previdência e não estamos brigando por um ponto ou outro. Essa reforma é nefasta aos trabalhadores", acusou. Ela negou, no entanto, que queira ser expulsa do PT. ?Não quero ser expulsa de um partido que eu ajudei a construir nos últimos 18 anos da minha vida?, disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.