Loyola defende Proer em CPI

O ex-presidente do Banco Central Gustavo Loyola acaba de fazer, na CPI do Proer (Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional), na Câmara, uma exposição inicial de 20 minutos em que justificou a adoção do programa. Segundo ele, o Proer teve como objetivo impedir a falência dos bancos privados. Pouco depois, ele começou a responder a perguntas dos parlamentares. Loyola foi convocado a requerimento do deputado Milton Temer (PT-RJ), que quer saber por que o Proer foi editado às vésperas da venda do Banco Nacional ao Unibanco, em 1995, bem como o valor real injetado pelo governo no sistema financeiro, através do programa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.