Lorenzoni vê dificuldades para aprovar CPMF no Senado

Contrário à proposta que prorroga a cobrança da CPMF, o líder do DEM na Câmara, Onyx Lorenzoni (RS), prevê dificuldades para o governo na para aprovar o projeto no Senado. Na Câmara, a proposta foi aprovada em sessão que terminou nesta madrugada. A presença do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no cargo é considerada um grande obstáculo para a prorrogação da contribuição. Na avaliação do líder, o governo já corre o risco de não conseguir votar a proposta no Senado neste ano e, por conseqüência, perderá arrecadação."O cálculo político do governo não contava com a capacidade interminável de Renan produzir lambança", disse Lorenzoni. Para ele, o governo está um uma "sinuca" no Senado porque, se Renan era importante para aprovar a CPMF em um primeiro momento, agora passou a ser um entrave.Lorenzoni reafirmou que a relatora da proposta de CPMF no Senado, senadora Kátia Abreu (DEM-TO), usará os 30 dias de prazo que tem para apresentar o seu parecer. O líder do DEM lembrou que, na Câmara, onde o governo tem maioria ampla, a CPMF levou quase seis meses para ser aprovada. "Isso com o governo usando toda a máquina, retirando medidas provisórias e desfigurando o projeto do Programa de Segurança Pública", comentou Lorenzoni.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.