Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Longe de festividades, Bolsonaro passará o carnaval no Guarujá

Presidente pretende viajar para a cidade do litoral paulista na sexta-feira

Jussara Soares e Marlla Sabino, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2020 | 19h47

BRASÍLIA - Assim como no ano passado, quando ficou em Brasília para negociar a aprovação da reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro planeja passar o feriado de carnaval longe das festividades. O chefe do Executivo pretende viajar para a cidade de Guarujá, no litoral de São Paulo, na sexta-feira, 21. O retorno está previsto para o dia 27, na quinta-feira.

No ano passado, Bolsonaro ficou em Brasília com a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e a filha caçula, Laura, 9 anos. Durante o feriado, o presidente publicou fotos, em suas redes sociais, jogando baralho com a filha e de um churrasco.

O presidente também usou seu perfil no Twitter para compartilhar vídeo com cenas obscenas que teriam ocorrido durante a passagem de um bloco de carnaval em São Paulo, que ele mesmo considerou não se sentir “confortável em mostrar”. Na postagem, Bolsonaro afirmou que “É isto que tem virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro”. A publicação polêmica foi alvo de críticas de internautas.

Guarujá

Não é a primeira vez que o presidente escolhe o litoral de São Paulo para alguns dias de descanso. Em janeiro, Bolsonaro e Laura viajaram para a Baixada Santista. O presidente, no entanto, antecipou a volta para acompanhar a primeira-dama em um procedimento cirúrgico.

Em 2019, o destino também foi escolhido nos feriados da Proclamação da República, em novembro, e da Páscoa, em abril.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também costumava passar feriados e férias no Forte dos Andradas. Por ser uma área militar, o local tem uma praia de acesso restrito e algumas moradias de oficiais do Exército.

Tudo o que sabemos sobre:
Jair Bolsonarocarnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.