Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Lobão pede acesso a delações de Ricardo Pessoa e de emissário de Youssef

Lobão não é o primeiro a pedir acesso à delação de Pessoa, que permanece em sigilo, mas vem sendo divulgadas pela imprensa

BEATRIZ BULLA, O Estado de S. Paulo

01 de julho de 2015 | 17h33

Brasília - A defesa do senador Edison Lobão (PMDB-MA) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) acesso às delações do dono da UTC, Ricardo Pessoa, e também de Rafael Ângulo Lopez, conhecido como "emissário" do doleiro Alberto Youssef. Em petição encaminhada ao ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo, os advogados de Lobão mencionam matéria do Estado apontando que o peemedebista foi citado nos depoimentos de Pessoa.

A um dia do início do recesso do Judiciário, os advogados alegam que os inquéritos que investigam políticos na Lava Jato foram prorrogados até 31 de agosto "enquanto trechos das delações premiadas de Ricardo Pessoa e Rafael Ângulo são veiculados na mídia a todo tempo".

"É inequívoco o legítimo interesse do ora peticionário em ter acesso aos termos das duas delações, bem como aos depoimentos prestados por Ricardo Pessoa e Rafael Ângulo Lopez nesse contexto, sobretudo porque os mencionados acordos delatórios já foram devidamente homologados", escreve a defesa de Lobão, investigado na Lava Jato perante o STF. A delação do funcionário de Youssef foi homologada por Zavascki no início de maio e a de Pessoa na semana passada.

Lobão não é o primeiro a pedir acesso à delação de Pessoa, que permanece em sigilo. Trechos dos depoimentos foram publicados pela imprensa desde a última sexta-feira, dia 26, e levaram autoridades supostamente citadas a pedir ao STF a íntegra da delação. Já pediram acesso ao depoimento do dono da UTC o ministro Raimundo Carreiro, do Tribunal de Contas da União (TCU); o advogado Tiago Cedraz, filho do ministro do TCU Aroldo Cedraz; os ministros da Comunicação Social, Edinho Silva, e da Casa Civil, Aloizio Mercadante; e o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.