Lobão encaminha ofício no qual Jader é acusado

O presidente interino do Senado, Edison Lobão (PFL-MA), enviou nesta terça-feira à comissão do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa o ofício da Secretaria-Geral no qual o presidente licenciado do Congresso, senador Jader Barbalho (PMDB-PA), é acusado de ter engavetado um requerimento de informações ao Banco Central (BC) sobre o caso Banco do Estado do Pará (Banpará)."Para mim não há dúvidas de que Jader reteve o pedido feito ao BC por interesse próprio - o que é quebra decoro parlamentar", disse o senador Jefferson Peres (PDT-AM), depois de ler o documento assinado pelo secretário-geral, Raimundo Carreiro.Integrante da comissão, Peres confirmou que o secretário responsabiliza Jader, presidente licenciado da Casa, pela decisão de engavetar, por mais de três meses, o requerimento. Essa nova acusação será incluída no relatório que recomendará a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra o senador paraense.O parecer deverá ser votado no dia 12 ou 13. Numa estratégia para definir logo o futuro político de Jader, o presidente interino do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, Geraldo Althoff (PFL-SC), disse nesta terça-feira que a Casa definirá uma rápida tramitação do processo.Na semana passada, Althoff informou que seria necessária uma segunda fase de análise do caso de Jader no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, de forma a permitir a formalização do processo por quebra de decoro, o que tornaria mais lenta a tramitação.Depois de ser convencido pelos colegas, Althoff recuou e informou que essa etapa será eliminada. Com base nesse novo entendimento, o Conselho de Ética e Decoro aprovará o relatório e o encaminhará à Mesa Diretora do Senado.Se a Mesa acolher o parecer, estará oficializado o processo por quebra de decoro, o que pode levar à cassação de mandato de Jader. Segundo Althoff, a partir desse momento, o senador paraense não poderá mais renunciar à função com o objetivo de suspender a apreciação do pedido de perda de mandato.Estava prevista para esta quarta-feira uma reunião do Conselho de Ética para que fosse comunicada aos senadores a prorrogação dos trabalhos da comissão até o dia 17. Segundo Peres, o parecer da comissão será entregue segunda-feira (10), sete dias antes do fim do prazo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.