Lobão diz que ele, não Lula, adiou troca de dirigentes

Defendendo-se da suspeita de ter manobrado para substituir a direção do Real Grandeza, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, divulgou ontem nota alegando que partiu dele a iniciativa de adiar a reunião do conselho deliberativo que faria a mudança, na quinta-feira. A versão anterior é de que a ordem teria partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A reunião não foi efetivamente adiada, mas a troca no fundo de pensão acabou sendo excluída da pauta.A nota informa também que a intenção era nomear para a direção do fundo funcionários de carreira de Furnas "com larga experiência administrativa e financeira". Informado das reações contrárias, Lobão teria relatado a situação ao presidente e sugerido a suspensão da troca "até o término dos atuais mandatos", em outubro.

Entrevista com

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.