Livro sobre Montoro será lançado hoje no Memorial

O homem que decidiu iniciar a campanha das Diretas-Já foi o então governador Franco Montoro, relembra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso no principal artigo do livro O legado de Franco Montoro, uma edição da Imprensa Oficial de São Paulo que será lançada hoje, a partir das 18h30, no Memorial da América Latina. No artigo, FHC rememora as várias qualidades de Montoro e cita a sua coragem de, como governador paulista, bancar a campanha pelas eleições diretas num momento em que todos temiam pelas possíveis repercussões.O ex-presidente registra que Montoro resolveu tocar a campanha em uma época em que o PT queria fazê-la sozinho e o então presidente João Batista Figueiredo tinha afirmando, na televisão, que pedir as Diretas-Já era "subversão". "Qualificar algo como subversão naquela época não eram simplesmente palavras, como se diz hoje. Era uma coisa bastante dura, teria conseqüências severas", observa. A partir da advertência do general, FHC esperou que Montoro desistisse. "Vamos fazer", insistiu o governador.FHC também relata que Montoro se antecipou a todos no então PMDB e, embora fosse governador do Estado mais importante do País, decidiu apoiar Tancredo Neves para a Presidência pela via indireta, em vez de lançar-se a si mesmo. "Se não há essa grandeza, como naquele momento houve, se não há capacidade de entender o momento de abrir mão dos pequenos espaços que cada um pode ter, não se constrói uma situação nova, uma força capaz de dirigir", salienta. FHC destaca, ainda, as idéias de Montoro sobre descentralização dos negócios públicos: "Na verdade, Montoro entendeu que a democracia requer a descentralização."O embaixador Rubens Barbosa comenta, em seu artigo, a visão internacionalista de Montoro e principalmente seu ideal latino-americano. Ele afirma que a convicção democrata-cristã do ex-governador paulista continuou preocupando Montoro quando ajudou a criar o PSDB. Segundo Barbosa, foi de inspiração de Montoro a criação de um símbolo para marcar o novo partido, um tucano. O pesquisador José Augusto Guilhon Albuquerque, que organizou o livro, destacou as idéias de Montoro sobre o tema dos governos participativos, muito mais avançado e generoso em suas idéias do que nas versões surgidas posteriormente. "O método participativo adotado por Montoro incluía outros níveis: de consulta, compartilhamento de decisões e participação na execução", disse.

Carlos Marchi, O Estadao de S.Paulo

18 de março de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.