Lista pró-tucano inclui nomes sem autorização

Escritor Afonso Romano Sant’Anna e cantores Ivan Lins e Sandra de Sá foram citados, mas não apoiam o candidato

Moacir Assunção e Raquel Cozer, de O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2010 | 20h34

SÃO PAULO - Depois da polêmica com a lista de artistas e intelectuais que estariam apoiando a presidenciável do PT, Dilma Rousseff, e pediram a retirada dos seus nomes da lista de apoio - casos do diretor de Tropa de Elite 2, José Padilha e da escritora Ruth Rocha - agora é a campanha do tucano José Serra que passa pelo mesmo constrangimento.

 

Três dos 287 incluídos na relação - o escritor Afonso Romano de Sant’Anna e os cantores Ivan Lins e Sandra de Sá - não autorizaram o uso de seus nomes. Sandra de Sá declarou apoio a Dilma. Sant’Anna e Lins afirmaram que não estão apoiando nenhum dos candidatos.

 

A produtora Erika Breno, que cuida do Twitter de Ivan Lins, reclamou com o blog O Brasil com Serra, primeiro a divulgar a lista, que reúne nomes como o casal de atores Tarcísio Meira e Glória Menezes, a dupla Rick e Renner, a escritora Lya Luft e a cantora Sandy. O nome do cantor saiu da relação ontem, mas permanecia em outros sites não-oficiais que reproduziram a original. No Twitter de Lins, aparece a mensagem: "Ivan Lins não apoia nenhum dos candidatos à Presidência no segundo turno. Qualquer informação nesse sentido é falsa."

 

"Fiquei muito passado, não gostei. Usaram meu nome para apoiar um candidato do qual não gosto sem minha autorização. Voto em branco, jamais votaria num desses dois", disse o cantor, que apoiou Marina Silva (PV) no primeiro turno.

 

Sandra de Sá escreveu no Twitter: "Gente, meu nome foi colocado, indevidamente, no manifesto o Serra. Como jah (sic) disse, me decidi ontem. Dilma". Ela votou em Marina e disse ter optado pela petista ao concluir que "pessoas ligadas ao Serra" votaram contra questões que beneficiam a causa negra.

 

Sant’Aanna se apressou em esclarecer sua neutralidade. "Meu nome aparece encabeçando manifesto pró-Serra e no Twitter dizem que posso ser ministro da Cultura. Esclareço que não assinei manifesto para nenhum dos dois concorrentes nem almejo aquele cargo", afirmou.

 

Resposta. A assessoria de de Serra não quis comentar o fato, alegando que a lista não é responsabilidade da campanha - a iniciativa partiu dos próprios artistas. Pelo Twitter, Serra fez questão de agradecer às personalidades: "Muito obrigado a todos os artistas e intelectuais que assinaram um manifesto em apoio à minha candidatura".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.