ANTONIO MORE/GAZETA DO POVO
ANTONIO MORE/GAZETA DO POVO

Lista aprovada na comissão inclui Marcelo Odebrecht

Além do empreiteiro, advogada responsável pelas delações mais importantes da operação também foi convocada

Daiene Cardoso e Daniel Carvalho, O Estado de S. Paulo

09 de julho de 2015 | 23h19

Brasília - Em uma votação rápida, foram aprovados nesta quinta-feira, 9, na CPI da Petrobrás 79 requerimentos. A lista de convocações inclui o empreiteiro Marcelo Odebrecht, preso desde o último dia 19 em Curitiba. Também constam dela o executivo da Toyo Setal Júlio Camargo, o executivo da Andrade Gutierrez Otávio Azevedo, o policial Jayme Alves de Oliveira Filho, o Careca, Adarico Negromonte, irmão do ex-ministro Mário Negromonte, e Rafael Ângulo Lopez – responsável pelo “cofre” do doleiro Alberto Youssef. Outros executivos incluídos são: Shinji Tsuchiya, da Mitsui e J.W.Kim, apontado pela CPI como presidente da Samsung no Brasil - informação que a empresa diz ser incorreta conforme nota divulgada à imprensa (confira abaixo). 

A lista apresentada pelo relator Luiz Sérgio (PT-RJ) não poupou nem a advogada Beatriz Catta Preta, defensora de alguns dos investigados que fizeram delação premiada, entre eles o ex-gerente de Serviços da Petrobrás Pedro Barusco. 

Nesta semana, Beatriz conseguiu com que o Supremo Tribunal Federal suspendesse as acareações de Barusco. “A advogada tem uma desenvoltura muito grande e, de uma forma ou de outra, o trabalho da CPI às vezes não evolui por conta de ações profissionais dela. É preciso que se façam alguns esclarecimentos”, justificou o vice-presidente da CPI, Antonio Imbassahy (PSDB-BA). 

Ao negar retaliação à advogada, o presidente da comissão, deputado Hugo Motta (PMDB-PB), disse que é preciso deixar claro de onde vem o dinheiro pago a Beatriz, já que seus clientes são pessoas que confessaram ter desviado verba pública. “Ela vem justamente para explicar de onde está recebendo seus honorários e como está fazendo para receber dessas pessoas que, perante à lei e à Justiça, devolveram tudo o que foi desviado”, disse Motta. 

Também foram convocados os delegados federais Maurício Grillo, Daniele Rodrigues, Igor Romário de Paula e Márcio Anselmo. Os deputados querem saber detalhes da sindicância sobre escutas clandestinas encontradas na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. 

Entre as acareações aprovadas estão as que confrontam o executivo Augusto Mendonça, o ex-diretor da Petrobrás Renato Duque e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Em votação separada, foram aprovadas mais uma vez as quebras dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático de parentes de Youssef – as filhas, Taminy e Kemelly, a mulher, Joana Darc, e a irmã, Olga.

Veja a íntegra da nota da Samsung:

"O assunto em questão não diz respeito a nenhuma das áreas de atuação da Samsung Eletrônica da Amazônia Ltda. Nossa Empresa está presente no Brasil desde 1986, atuando sempre em total conformidade com as leis brasileiras. Reiteramos o compromisso de ética e seriedade com os quais sempre trabalhamos".

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Lava JatoCPI Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.