Lins e Silva morre no Rio de Janeiro

O advogado e acadêmico Evandro Lins e Silva, de 90 anos, que estava internado em estado grave na Clínica São Vicente, na Gávea, zona sul do Rio de Janeiro, morreu no início da manhã desta terça-feira. O advogado sofreu traumatismo craniano em uma queda na noite de quinta-feira na saída do Aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio. A queda provocou edemas no cérebro e o jurista ficou em coma. Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) aposentado compulsoriamente pela ditadura militar em 1969, Lins e Silva ocupa a cadeira número um da Academia Brasileira de Letras (ABL) e voltava de Brasília quando se acidentou. Na capital federal, havia sido recebido pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, que o empossara conselheiro da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.