Liminar contra 'Estado' é 'censura prévia', diz Serra

Para governador paulista, a decisão é um 'equívoco' e deve ser derrubada na Justiça

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

03 de agosto de 2009 | 16h12

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse hoje considerar "censura prévia" a decisão judicial que impediu o jornal O Estado de S. Paulo de publicar informações sobre a Operação Faktor - conhecida também como Boi Barrica - da Polícia Federal (PF). Para o governador, a decisão é um "equívoco" e deve ser derrubada na Justiça. "É uma liminar equivocada porque instala um sistema de censura prévia no Brasil. Eu sou contra", afirmou o governador, após evento na Secretaria da Fazenda. "Esse esquema de censura deve ser derrubado, e tenho certeza que vai ser", reforçou Serra.

O pedido para proibir a publicação de informações sobre a operação da PF foi feito por Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que está no centro da crise política que envolve a Casa. Os advogados do empresário afirmam que o jornal praticou crime ao publicar trechos das conversas telefônicas gravadas na operação com autorização judicial e alegaram que a divulgação de dados fere a honra da família Sarney. As gravações revelaram ligações de José Sarney com a contratação de parentes por meio de atos secretos. A liminar foi concedida pelo desembargador Dácio Vieira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios.

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoJosé Sarneycensura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.