Líderes receberão cópia da decisão do STF sobre nepotismo

Segundo Chinaglia, líderes deverão orientar bancadas sobre a necessidade de demissão imediata de parentes

Denise Madueño, de O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2008 | 17h56

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), vai comunicar nesta quarta-feira, 26, aos líderes partidários que entregará uma cópia da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que proibiu a contratação de parentes até 3º grau, assim que ela chegar à Casa. Os líderes, segundo Chinaglia, deverão orientar suas bancadas sobre a necessidade de demissão imediata de parentes. "A decisão do Supremo tem força de lei. Não creio que qualquer parlamentar ou qualquer tribunal não vá cumprir a lei. O nepotismo tem acontecido em todos os Poderes", disse Chinaglia. Veja também:Garibaldi pede a senadores 'lista de parentes' para demitirCongresso não tem motivos para alterar súmula do nepotismoPolíticos querem cotas para parentes depois de decisão do STF Na Câmara, já há a proibição, aprovada por projeto no plenário em fevereiro de 2007, de contratação de parentes de até 2º grau de deputados, de senadores e de ocupantes de chefia nos cargos de natureza especial, que não são preenchidos por concurso público. Nos gabinetes, no entanto, não há esse controle. Os deputados têm a verba mensal de R$ 60 mil para pagar salários de até 25 secretários parlamentares, contratados sem concurso público. Para Chinaglia, cada deputado terá de assumir a responsabilidade pelas suas contratações, cumprindo a lei. A reunião de líderes foi marcada por Chinaglia para discutir a pauta de votações até as eleições em outubro. Nessa semana, não haverá votações no plenário e os deputados estão liberados para fazer campanhas em seus municípios. Chinaglia convocará votações no plenário na primeira semana de setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
STFnepotismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.