Líderes partidários discutem aumento salarial nesta terça

O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT), informou nesta tarde que, na terça-feira, na reunião dos líderes partidários, será discutido o aumento do salário dos parlamentares. Uma das propostas é a de se elevar o vencimento, hoje de R$ 12.800, para R$ 16.200, o que corresponderia à reposição da inflação dos últimos quatro anos. Chinaglia disse que a reunião poderá analisar também a reivindicação dos partidos em relação ao número de cargos de natureza especial na Câmara. "Para haver qualquer mudança, tem que passar pelo plenário", avisou o presidente da Casa. "Não existe a possibilidade de voltar ao mesmo número de cargos de antigamente."O deputado Aldo Rebelo (PCdoB), que ocupou a presidência da Câmara antes de Chinaglia, cortou mais de 1.000 cargos de natureza especial. Na reunião de terça, deverão ser discutidas também a reforma política e a emenda constitucional que acaba com o nepotismo. Chinaglia defendeu a discussão da reivindicação dos prefeitos de aumento do porcentual de repasse dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) nos debates sobre a reforma tributária. Para ele, os prefeitos deveriam usar seu poder de pressão para fazer com que o tema seja incluídos nos debates sobre a reforma: "Sou favorável a uma reforma tributária. Precisamos encontrar um ponto de equilíbrio. Em vez de fatiar a reforma e votar apenas o aumento da cota (que é transferida aos municípios), devemos votar a reforma como um todo."Na terça, haverá também uma reunião dos integrantes da Mesa da Câmara. Chinaglia informou que, nesse encontro, não será abordada a questão do aumento da verba de gabinete dos deputados, atualmente em cerca de R$ 50 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.