Líderes na Câmara priorizam projetos sobre recesso e salário extra

O fim do pagamento extra para os parlamentares durante as convocações extraordinárias e a proposta que reduz o período do recesso parlamentar de 90 para 45 dias por ano deverão ser as matérias prioritárias nas votações do Plenário, depois que a pauta estiver destrancada. A informação foi confirmada pelos líderes partidários na Câmara, que se reuniram hoje com o presidente Aldo Rebelo.Também foi fechado um acordo para votação, na próxima semana, do projeto de lei que cria a Super-Receita. O líder do governo na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), informou que para isso o governo deverá retirar o pedido de urgência constitucional da matéria. O projeto da Super-Receita e duas medidas provisórias (MPs) trancam a pauta do plenário.O líder do PSB, Renato Casagrande (ES), acredita que as duas MPs poderão ser votadas ainda hoje. Os projetos sobre o salário extra durante a autoconvocação e sobre o recesso parlamentar poderão, então, ser votados a partir de amanhã. Segundo o líder do PT, deputado Henrique Fontana (RS), os líderes estão de acordo com uma redução do recesso para 45 dias por ano, sendo 30 dias em janeiro e 15 em julho. As informações são da Agência Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.