Líderes governistas prometem esvaziar depoimento

Os líderes governistas montaram uma estratégia para tentar esvaziar o depoimento do policial militar João Dias Ferreira, delator do suposto esquema de desvio de dinheiro no Ministério do Esporte, previsto para amanhã na Câmara. Em reunião dos aliados, o líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que Ferreira tem de se explicar com a polícia e que o assunto não é de política para ser tratado na Câmara.

DENISE MADUEÑO, Agência Estado

25 de outubro de 2011 | 16h26

"O que ele tinha de falar, já falou. Não vou (no depoimento). Não tenho nada a perguntar para ele e ele não tem nada a acrescentar. O problema dele é com a polícia e não política", disse Vaccarezza. O líder do PT, Paulo Teixeira (SP), disse que também não irá ao depoimento. O líder do PCdoB, Osmar Júnior (PI), procurou minimizar as declarações de João Dias. "Foi dito na reunião, e é verdade, que esse não é um assunto importante. A Câmara não é o espaço adequado para o tratamento da questão", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Orlando Silvadenúnciasdepoimento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.