Líderes governistas indecisos sobre nova tabela do IR

Não houve consenso, na reunião dos líderes do governo, no Palácio do Planalto, sobre a conveniência de o presidente Fernando Henrique Cardoso vetar ou sancionar o projeto de lei que reajusta a tabela de alíquotas do Imposto de Renda da Pessoa Física. Os líderes governistas tiveram opiniões divergentes. Segundo o vice-líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PPB-PR), as opiniões se dividiram em três vertentes: a recomendação para que o presidente sancionasse ainda hoje o projeto de lei, devolvendo ao Congresso a responsabilidade de fazer os cortes na proposta orçamentária de 2002. Outra alternativa seria sancionar o projeto dentro de uma ou duas semanas e o próprio Poder Executivo fazer os cortes para adequar a despesa total à estimativa de receita real. A terceira e última alternativa seria vetar o projeto. Esse veto, no entanto, teria que ser negociado com os líderes partidários para que não haja risco de ele ser derrubado. A possibilidade de sanção ainda hoje, segundo Barros, poderia facilitar, também, a desobstrução do Orçamento, por parte da oposição, que teria mais tranqüilidade para concordar com o encurtamento dos prazos regimentais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.