Líderes do PT saem em defesa do presidente do BC

Líderes petistas saíram em defesa do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Tentaram ainda eximir o PT de omissão quanto às suspeitas de sonegação fiscal que pesam sobre Meirelles e o diretor de Política Monetária do BC, Luiz Augusto Candiota, publicadas pela revista Istoé. Tanto o líder do partido na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), quanto o líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), lembraram que a reportagem se refere ao período de 2001 e 2002, quando Meirelles foi candidato a deputado federal pelo PSDB, um dos principais partidos de oposição. Meirelles foi eleito, mas abriu mão do cargo."Acho que o PSDB, na época quando ele (Meirelles) era candidato a deputado, deveria tê-lo orientado melhor do ponto de vista do processo eleitoral", disse Mercadante. Apesar da ressalva, o senador afirmou estar convicto de que o presidente do BC não cometeu nenhuma irregularidade. Já Chinaglia não descartou a hipótese de a denúncia estar ligada a especulação financeira. O presidente do partido do presidente Lula, José Genoino, alertou que o adversário que "tentar pegar o PT com esse tipo de denúncia vai ser derrotado nas eleições municipais." As declarações dos petistas foram dadas hoje, durante o encontro do Diretório Nacional do partido, realizado em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.