Líderes do governo dizem que 'País está em jogo', ao defender manutenção dos vetos

Para José Guimarães (PT-CE) manutenção do veto da presidente Dilma Rousseff para o reajuste do Judiciário não é apenas um compromisso da base aliada e sim de todos os parlamentares

CARLA ARAÚJO, O Estado de S. Paulo

22 de setembro de 2015 | 17h32

Brasília - O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), afirmou nesta terça, 22, que acredita que a responsabilidade de manutenção do veto da presidente Dilma Rousseff para o reajuste do Judiciário não é apenas um compromisso da base aliada e sim de todos os parlamentares. "O que está em jogo não é um governo e sim o País", disse.

Nesta terça também o líder do PMDB da Câmara, Leonardo Picciani (RJ), informou que a presidente Dilma pediu a realização hoje à noite da sessão do Congresso que vai apreciar 32 vetos presidenciais. "Vai ser votado. Ela pediu", disse o peemedebista. Anteriormente, o governo se articulava para esvaziar a sessão e evitar uma derrota.

O líder do PSC, deputado Silvio Costa (PE), reforçou que os vetos têm de ser mantidos porque "não podemos correr o risco de ver o País quebrar". "Hoje até às 21 horas, o que estamos fazendo é uma operação de salvar o Brasil", disse, em referência ao processo de convencimento que os líderes da base têm feito agora à tarde com os deputados. "Os governos passam, mas o País fica. É uma irresponsabilidade da oposição derrubar o veto", disse.

Servidores do Judiciário protestam dentro e fora do prédio do Congresso pela derrubada do veto presidencial ao reajuste da categoria.

Tudo o que sabemos sobre:
CongressovetosJosé Guimarães

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.