Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Base aposta em placar semelhante à primeira votação

Líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) disse não acreditar em 'surpresas' na votação

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

25 de outubro de 2017 | 18h00

BRASÍLIA - Apesar da dificuldade em conseguir quórum no plenário da Câmara, líderes da base aliada continuam apostando que o placar da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer será parecido com o da primeira, quando o governo alcançou 263 votos.

+++ Oposição monta plenário paralelo em protesto pelo adiamento da votação da denúncia contra Temer

+++ Podemos ter até 10 votos a mais do que na primeira denúncia, diz Padilha

Líder do governo na Câmara, o deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) disse acreditar que não haverá surpresas na votação. Para ele, a tática da oposição de obstruir a votação fortaleceu o governo, que teve de se mobilizar para garantir que a votação ocorresse ainda nesta quarta-feira, 25.

+++ Deputados da base também evitam registrar presença para votar denúncia contra Temer

+++Entenda o que está em jogo na segunda denúncia contra Temer

O líder do PMDB, deputado Baleia Rossi (SP), também aposta num placar semelhante. Assim que o quórum de 342 deputados no plenário foi alcançado, o vice-líder do governo na Câmara, Beto Mansur (PRB-SP), abriu um computador no meio do plenário para fazer contas. Pelo seu levantamento, o governo terá 268 votos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.