Lideranças petistas evitam falar do papel de Maluf no 2.º turno

Três das principais lideranças do PT - o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, o líder do governo no Senado, Aloizio Mercadante, e o presidente nacional do partido, José Genoino - vacilaram hoje ao serem indagados sobre as negociações para o segundo turno com o candidato Paulo Maluf (PP), que chegou em terceiro lugar na primeira fase a disputa em São Paulo. Eles disseram querer o apoio dos eleitores de Maluf, assim como dos candidatos Luiza Erundina (PSB), Paulinho (PDT), Francisco Rossi (PHS), e Havanir (Prona), mas evitaram responder se os aceitariam no palanque da petista. Diante de uma bateria de perguntas se Maluf poderia aparecer no programa eleitoral de Marta e subir em seus palanques, Dirceu respondeu: "pergunta primeiro ao Serra e depois eu respondo".Encarregado de conduzir as negociações dos apoios neste segundo turno, Genoino também desconversou: "queremos o voto de todos os malufistas, inclusive o dele". Genoino não respondeu se Maluf poderá subir no palanque petista.Depois da proclamação do resultado do primeiro turno, Genoino disse que vai iniciar as conversas com os candidatos derrotados. Ao ser indagado sobre o fato de Erundina ter ficado irritada com a informação de que seu partido (PSB) apoiaria Marta, Genoino respondeu que seria desrespeitoso que não procurasse o apoio da ex-prefeita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.