Lideranças indígenas ocupam sede da Funai em MS

Índios da etnia Terena reivindicam uma definição quanto à administração do órgão no estado

Agência Brasil ,

18 de maio de 2009 | 18h16

Um grupo de cerca de 60 indígenas ocupa, desde a manhã desta segunda-feira, 18, a sede da Fundação Nacional do Índio (Funai) em Campo Grande (MS). São lideranças e guerreiros da etnia Terena, que reivindicam uma definição quanto à administração do órgão no estado, informou o chefe substituto da Funai na cidade, Joãozinho da Silva.

 

No cargo desde fevereiro último, Silva é o segundo a ocupar a chefia da Funai no estado, desde que o ex-titular Claudionor Miranda foi afastado, depois que uma sindicância apontou irregularidades em sua administração, em novembro do ano passado.

 

Segundo ele, os índios estão impacientes por causa da falta de definição de um novo titular. "Como estava demorando (a nomeação de um chefe titular) as lideranças resolveram cobrar", afirmou da Silva.

 

De acordo com Silva, não houve violência durante a ocupação, e os funcionários deixaram o prédio para evitar confrontos com os indígenas.

 

As lideranças entraram em contato com a sede da Funai em Brasília e pretendem enviar um documento com as reivindicações do grupo.

 

Os índios realizaram outra ocupação em abril para pedir exoneração do chefe de área, responsável por atuar diretamente dentro da comunidade.

 

O Mato Grosso do Sul foi apontado pelo Conselho Indigenista Missionário(Cimi) como o estado com maior índice de violência contra indígenas. De acordo com o relatório da entidade, dos 60 assassinatos cometidos contra índios no ano passado, 42 ocorreram no estado.

Tudo o que sabemos sobre:
Funaiíndios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.