Lideranças em São Bernardo mudam tom e dizem que Lula não desrespeita a lei

Lideranças em São Bernardo mudam tom e dizem que Lula não desrespeita a lei

Ex-presidente segue na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, após fim do prazo dado pelo juiz Sérgio Moro para ele se entregar em Curitiba

Francisco Carlos de Assis, Eduardo Laguna  e André Ítalo, O Estado de S.Paulo

06 Abril 2018 | 18h13

As lideranças sindicais e de movimentos sociais que discursam em frente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC acabam de mudar o tom de suas falas. Até poucos momentos antes da 17 horas, horário em que se encerrou o prazo para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se entregar à Polícia Federal, pregavam a resistência ao mandado de prisão e a desobediência civil estão agora dizendo que o petista não está desrespeitando a lei.

+ Ao vivo: Moro determina a prisão de Lula

De acordo com os líderes, Lula está em lugar público, certo e é sabido. "Nós não enfrentamos a lei. Aquele juiz de Curitiba [Sérgio Moro] deu ao presidente Lula a opção de se apresentar em Curitiba", disse a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman.

+ Prazo de Lula acabou, e agora?

Gleisi falou para a militância em nome de Lula. Ela agradeceu o apoio de todos e disse que Lula não se entregou não foi para afrontar e desrespeitar a lei, mas para mostrar que "não somos gado que vai quieto para o matadouro". 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.