AFP
AFP

Lideranças do PT no Senado devem evitar confronto com Renan e Jucá

Ideia da bancada é esperar pelos desdobramentos antes de tomar um posicionamento; decisão foi tomada em reunião na tarde desta terça-feira, 7

Erich Decat, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2016 | 18h53

BRASÍLIA - Em reunião realizada no início da tarde desta terça-feira, 7, integrantes da bancada do PT no Senado alinharam o entendimento de que não irão para um embate no plenário contra o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o senador Romero Jucá (PMDB-RR). 

Os dois senadores do PMDB foram alvos de pedido de prisão feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), no âmbito das investigações da Lava Jato.

Segundo lideranças do PT no Senado, a ideia é aguardar os desdobramentos e até a confirmação do pedido de Janot para só depois haver um posicionamento da bancada.

Apesar do "comedimento e cautela", neste primeiro momento, a ideia é incentivar, por outro lado, os deputados do partido e movimentos sociais a grudarem o episódio do pedido de prisão no Palácio do Planalto e associar as imagens de Renan e Jucá à do presidente em exercício, Michel Temer. Dessa forma, algumas lideranças petistas acreditam ganhar força o discurso de que o processo de impeachment da presidente afastada Dilma está "contaminado".

No encontro da bancada, alguns integrantes do partido lembraram ainda que uma decisão do STF pelo afastamento de Renan pode "embolar" a disputa em torno do processo de impeachment, uma vez que se o peemedebista deixar o comando do Senado, caberá ao primeiro vice-presidente, Jorge Viana (PT-AC) assumir interinamente o cargo. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.