Líder sindical é morto a tiro em Altamira

O coordenador do Movimento Pelo Desenvolvimento da Transamazônica e Xingu, Ademir Alfeu Federicc, de 36 anos, foi assassinado a tiro na madrugada de ontem dentro de sua casa em Altamira, no sudoeste do Pará. Um homem não identificado foi flagrado dentro da residência onde Federicc, sua mulher e os quatro filhos dormiam. Outro homem, do lado de fora da casa, atirou na boca do sindicalista para proteger o comparsa que fugia do local. federicc morreu antes que pudesse receber atendimento médico em um hospital do município. O enterro será neste domingo à tarde na cidade de Medicilândia, a 150 km de Altamira. Os movimentos sociais da região estimam que entre cinco e oito mil pessoas participarão de manifestações de protesto contra o assassinato. O sindicalista foi vereador pelo PT de Medicilândia e era membro na região da diretoria da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri). Líder havia feito denúncias A polícia abriu inquérito para apurar o crime e trabalha com a possibilidade de ter havido uma tentativa de assalto. Os dois homens vistos no local do crime ainda não foram identificados ou localizados. Nos últimos meses, Federicc vinha denunciando o envolvimento de empresários e políticos da região da Transamazônica pelo desvio de recursos da extinta Sudam. Por conta disso, ele e outras pessoas do movimento estariam recebendo ameças anônimas. Contrário à construção da hidrelétrica de Belo Monte, prevista para ser a maior do país até 2.010, a vítima deixou escrito um panfleto, ainda não publicado, contra os grandes projetos na Amazônia. Em uma carta com pedido de apoio enviada a diversas entidades do País, Federicc afirma estar preocupado em garantir a "preservação dos rios e florestas e a distribuição de renda na Amazônia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.