Líder quer prazo para colheita

A retirada de não-índios da Raposa Serra do Sol deverá ser pacífica. Com a decisão do STF, o líder arrozeiro Paulo César Quartiero disse que não empreenderá resistência à desocupação. Mas, apesar da sinalização em contrário do ministro Carlos Ayres Britto, Quartiero espera ter prazo até maio para a conclusão da colheita.O líder arrozeiro criticou o STF. "O julgamento constatou o ódio e o rancor da Suprema Corte contra os produtores de alimentos do Brasil e especialmente de Roraima. Quase uma vingança, mas vamos continuar trabalhando."Os índios prometeram aguardar a remoção dos produtores antes de ocupar as fazendas. "Vamos chamar todo mundo para conversar e aguardar o cumprimento da decisão", disse o coordenador do Conselho Indígena de Roraima, Dionito José de Sousa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.