Líder petista reconhece que MP serviu para blindar Meirelles

A líder do Partido dos Trabalhadores no Senado, Ideli Salvatti, reconheceu que a medida provisória que dá ao presidente do Banco Central o status de ministro tem o objetivo de criar uma blindagem para proteção de Henrique Meirelles. "Eu acho que e uma blindagem necessária ao cargo", admitiu a líder da bancada petista durante entrevista ao Jornal da Cultura. "Você não pode imaginar que o cargo que é exatamente o responsável pela guarda da moeda e que tem tanta incidência na estabilidade econômica do País que não tivesse uma prerrogativa que um deputado federal tem, que um senador tem, que um governador tem e que os demais ministros têm." Apenas pelo "ex" Diante da aparente contradição pelo fato de o partido ter sido contrário à aprovação do foro privilegiado proposto pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, a senadora petista procurou justificar: "Nós tivemos um posicionamento porque no final do governo se obteve a extensão do foro privilegiado para quando deixasse de ocupar o cargo. Era o foro privilegiado extensivo para ex-presidente, ex-ministros", salientou. E voltou à carga: Eu acho inadmissível que determinados agentes políticos tenham esse foro e o principal responsável pela guarda da moeda não tivesse essa prerrogativa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.