Líder petista rebate nota de Serra

A líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), subiu há pouco na tribuna para rebater nota do presidente do PSDB, José Serra, divulgada ontem, em que afirma que o subprocurador-geral da República, José Roberto Santoro, não trabalhou com ele em sua gestão no Ministério da Saúde, além do período em que integrou o grupo para apurar reclamações de usuários do SUS. A líder ressaltou, porém, que o PSDB esqueceu de se referir a uma portaria, de número 529, de 30 de abril de 1999, antes do período citado por Serra, na qual Santoro foi designado para trabalhar no Ministério. "Pode ter sido só um esquecimento em não citar a portaria", afirmou a líder petista, para quem o PSDB deveria fazer as devidas correções na nota intitulada "Em busca da Verdade". Ela recorreu ao discurso do senador José Sarney, em março de 2002, quando citou textos de jornais que faziam a conexão de Serra com Santoro. "É uma peça preciosa que pode esclarecer as questões vivenciadas hoje", disse, referindo-se ao discurso. Ela lembrou que naquele discurso Sarney afirmou que Serra teria dossiês contra seus colegas tucanos, Paulo Renato e Tasso Jereissati, que pretendiam disputar a Presidência da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.