Líder oposicionista defende relatório de Saturnino

O líder do bloco de oposição no Senado, José Eduardo Dutra (PT-SE), disse esta manhã, ao chegar para a reunião do Conselho de Ética, que a eventual aprovação de um voto em separado diferente do apresentado pelo relator do processo, senador Saturnino Braga (PSB-RJ) é, na prática, "uma destituição do relator". Segundo Dutra, a derrota do relatório de Saturnino ou a aprovação de um outro parecer implicariam na indicação de um outro relator que daria um parecer sobre o voto vencedor. Dutra disse ainda que não há motivo para modificar o relatório de Saturnino apenas para se retirar a punição defendida por Saturnino. O líder da oposição afirmou que a penalidade, na verdade, não é o que está sendo votado neste momento, pois ela está prevista apenas nas considerações e não na proposição final do relatório, onde Saturnino recomenda a abertura de processo de acordo com a Constituição e o Código de Ética dos senadores. "Qualquer modificação no relatório seria um voto de censura e uma manobra para destituir o relator", afirmou Dutra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.