Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Líder dos sem-terra diz que Levy é um infiltrado dos bancos no governo

Em Minas, João Pedro Stédile recebeu a Medalha da Inconfidência, assim como o presidente do STF, Ricardo Lewandowski

Leonardo Augusto, Especial para O Estado de São Paulo

21 Abril 2015 | 12h05

OURO PRETO - O líder nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, afirmou agora há pouco em Ouro Preto que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, é um infiltrado dos bancos no governo da presidente Dilma Rousseff (PT). Stédile, que recebeu agora há pouca na cidade a Medalha da Inconfidência, dentro das comemorações do 21 de Abril, disse ainda que a União erra na política de ajuste fiscal. "Compreendemos que o país passa por uma crise que, no entanto, pode ter outras saídas. Não podemos aceitar que o governo faça cortes de recursos na saúde e na educação", disse.


Apesar das críticas, Stédile disse que o MST vai continuar nas ruas "em defesa da democracia e da República". O movimento participou das últimas manifestações organizadas por sindicatos aliados do governo Dilma. Os protestos vêm servindo de contraponto aos atos contra a administração da presidente. Além de Stédile, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, também recebeu a Medalha da Inconfidência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.