Líder dos arrozeiros chega ao STF e prevê conflitos em Roraima

Quartiero é contrário à demarcação contínua da Raposa e qualificou a atual política no Estado como genocida

Agência Brasil ,

18 de março de 2009 | 10h26

Conhecido como líder dos arrozeiros do estado de Roraima, o agora "ex-prefeito e ex-presidente [da Associação dos Produtores de Arroz de Roraima] e futuro sem-terra", Paulo César Quartiero afirmou nesta quarta-feira, 18, ao chegar ao Supremo Tribunal Federal (STF) para a terceira parte do julgamento sobre a demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol, que a manutenção da reserva contínua não deve trazer mais disputas por terra, mas conflitos sociais.

 

Veja Também:

video Assista aos votos dos ministros

mais imagens Galeria de fotos da sessão no STF

blog Blog: acompanhe ao vivo o julgamento

forumVocê é contra ou a favor da demarcação contínua?

especialA disputa pela Raposa Serra do Sol 

especialEntenda a sessão do STF e veja como votaram os ministros em outras questões 

documentoLeia a íntegra do voto do relator, a favor da demarcação contínua 

linkPF já tem plano para retirada de arrozeiros da Raposa

 

"Pessoas estão à beira da falência econômica e não acreditam em mais nada. Então, não vai haver nada, o que vai ter no futuro é uma convulsão devido ao caos que está se gerando em Roraima", disse o líder ruralista, contrário à demarcação contínua da terra indígena e defensor dos grupos acusados de ter invadido a área. Quartiero qualificou a atual política pública em Roraima como genocida. "Estamos discutindo a paralisação da produção de alimentos de uma população necessitada, além do fechamento de postos de serviço", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Raposa Serra do Sol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.