Líder do PT tenta recurso pela cassação de ACM

O líder do PT no Senado, Tião Viana, protocolou hoje o recurso contra a decisão da Mesa de rejeitar o relatório aprovado pelo Conselho de Ética, que recomendou a cassação de mandato do senador Antônio Carlos Magalhães, por quedra de decoro parlamentar. ACM foi alvo de sindicância no Conselho de Ética, acusado de participar no esquema de escuta telefônica clandestina, em Salvador. O recurso de Viana é assinado também por senadores do PT, PSB e do PDT. A líderança do PMDB, no entanto, se recusou a assinar o recurso, assim como o PSDB. O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros, disse que o partido não poderia dar apoio ao recurso, porque estaria desautorizando o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) que votou pela rejeição do relatório do Conselho de Ética. Ontem, o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio, explicou que não assinaria o recurso porque ele não está entre as prioridades do partido. José Sarney não precisou o dia, mas garantiu que submeterá o recurso de Viana imediatamente ao plenário. Veja o índice de notícias sobre o grampo na Bahia

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.