Líder do PT retira pedido para investigar ida de caseiro ao Senado

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou que a líder do PT, senadora Ideli Salvatti (SC),retirou o requerimento em que solicitava cópias das filmagens feitas nos últimos 15 dias no Senado, para checar se o caseiro Francenildo dos Santos Costa havia freqüentado a Casa antes da entrevista em que fez declarações que comprometem a credibilidade do ministro da Justiça, Antonio Palocci. A retirada do requerimento encerra uma seqüência de tensos discursos plenário, em reação à posição da líder do PT. Após iradas críticas de senadores da oposição, o próprio líder do governo na Casa, senador petista Aloizio Mercadante (SP) se pronunciou contra o requerimento e fez um apelo à senadora para que o retirasse. Mercadante disse não acreditar que a iniciativa da Ideli pudesse contribuir para esclarecer se o caseiro foi ou não induzido por senadores da oposição a desmentir a versão do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, afirmando que ele freqüentava uma mansão no Lago Sul, em Brasília, onde a chamada república de Ribeirão fazia negócios e festas."Isso não deveria estar em nossa pauta. Não acho que seja o melhor caminho para tratar desse episódio", afirmou Mercadante. Ele declarou que a quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro é inaceitável. Concluiu com a afirmação de que "tudo deve ser apurado, inclusive se houve ou não motivação (induzida) do caseiro." A senadora Ideli Salvatti disse que quem quebrou ilegalmente o sigilo do caseiro não foi o governo e não foram as instituições. "Estamos em plena campanha eleitoral. Essa dúvida (se houve ou não outra motivação para o caseiro fazer as declarações) tem que ser eliminada."

Agencia Estado,

21 de março de 2006 | 17h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.