Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Líder do PT pede desculpas por chamar manifestantes do MBL de 'vagabundos'

Sibá Machado diz que 'se excedeu', mas que não abrirá mão da defesa do governo Dilma; protesto do movimento era contra o partido, a presidente e Lula

Igor Gadelha, O Estado de S. Paulo

11 Novembro 2015 | 18h42

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Sibá Machado (AC), pediu desculpas nesta quarta-feira, em plenário, por ter chamado manifestantes do Movimento Brasil Livre (MBL) de “vagabundos” durante a sessão do último dia 27 de outubro. A fala levou o líder do PSDB na Casa, Carlos Sampaio (SP), a entrar com pedido na Procuradoria-Geral da República (PGR) para que seja instalado inquérito policial contra o petista por incitação ao crime.

“Vou botar vocês para correr daqui da frente do Congresso, bando de vagabundos", afirmou o petista na ocasião, ao ouvir palavras contra o PT, a presidente Dilma e o ex-presidente Lula por parte dos manifestantes. "Vamos para o pau na frente do Congresso", emendou. Na sessão desta quarta-feira, 11, Sibá reconheceu que se "excedeu" naquele dia. “Aquilo não era a marca do meu comportamento”, disse. Ele ponderou, contudo, que não vai abrir mão da defesa do governo Dilma.

Em resposta ao líder do PT, Sampaio afirmou que as desculpas do petista não adiantavam. “Vossa excelência vai ser processada até o fim”, declarou o tucano no plenário hoje. Além da representação do PSDB na PGR, Sibá é alvo de representações de quebra de decoro parlamentar protocoladas em 3 de novembro pelo MBL e “Nas Ruas”, por incitação à violência. A abertura de representação no Conselho de Ética de fato, contudo, ainda depende de aval da Corregedoria da Casa. / COLABOROU DAIENE CARDOSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.