Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Líder do PT na Câmara diz que votar projeto da desoneração 'exige esforço muito grande'

Sibá Machado afirmou que impasse entre proposta do relator e o que governo deseja aprovar teria 'amarrado' a votação

Beatriz Bulla, O Estado de S. Paulo

10 de junho de 2015 | 12h27

BRASÍLIA - O líder do PT na Câmara, Sibá Machado (AC), afirmou que seria necessário realizar um "esforço muito grande" para votar ainda nesta quarta-feira, 10, o projeto de lei que revê a política de desoneração da folha de pagamentos. Ao chegar à Câmara, o petista mencionou o impasse entre o que o governo deseja aprovar e a proposta do relator, Leonardo Picciani (PMDB-RJ), o que teria "amarrado" a votação do texto. 

"O governo queria que o Picciani apresentasse o relatório logo com aquilo que o governo quer, que é jogar tudo para este ano. Ele quer jogar um escalonamento. Aí amarrou, está parado", disse Machado. O governo já acenou que aceitaria ceder no escalonamento das novas alíquotas, mas a divergência maior se concentra na ideia levantada por Picciani de manter quatro setores ainda beneficiados pelo regime especial de tributação, o que é rejeitado pelo Planalto. 

Para que o projeto seja votado hoje é preciso que o governo retire os pedidos de urgência constitucional do pacote anticorrupção. O líder do PT considera que, se Picciani apresentar o relatório até as 16 horas, daria tempo de iniciar a discussão, se a pauta estiver liberada. "Até 16h é dia de muita conversa. Se ele trouxer o relatório até esse horário podemos iniciar a discussão, mas, para votar e concluir hoje, precisa de um esforço muito grande", afirmou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.