Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Líder do PT diz que partido continuará 'conversando com todo mundo' para eleição na Câmara

Paulo Pimenta, líder da bancada petita com 56 deputados, disse que vai tentar um movimento conjunto com PSOL, PCdoB, PDT e PSB para eleição da Mesa Diretora

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

02 Janeiro 2019 | 13h42

Após o PSL fechar apoio à reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Câmara, deputados do PT afirmaram que continuarão conversando com o parlamentar fluminense e com outros concorrentes ao cargo.

"Estamos conversando com todo mundo", disse ao Broadcast Político o líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS). O partido, que elegeu 56 deputados e terá a maior bancada na próxima legislatura, vai tentar um movimento conjunto com PSOL, PCdoB, PDT e PSB para a eleição da Mesa Diretora, disse o líder. "Vamos fazer o nosso movimento primeiro para depois discutir outros movimentos", declarou.

No próximo dia 14, as lideranças da legenda petista na Câmara e no Senado se reúnem com dirigentes nacionais do PT para deliberar sobre as eleições para os comandos das Casas. O partido já decidiu não concorrer à Presidência da Câmara e quer garantir um espaço na Mesa Diretora para oficializar apoio a Maia ou a outro candidato.

"A inclinação vai depender do resultado da negociação", disse o deputado Carlos Zarattini (PT-SP), para quem o apoio do PSL dá força, mas não garante a eleição do parlamentar do DEM. "Sem dúvida, isso dá força para o Maia, mas não resolve o problema. O partido pode fechar apoio e tem gente que pode votar no João Campos (PRB-GO)", emendou o parlamentar, em relação a outro candidato a presidente da Casa que tem pontes com as bancadas evangélica e da bala.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.