Líder do PT diz que nova CLT não criará novos empregos

O líder do PT na Câmara, Walter Pinheiro (BA) afirmou na tarde de hoje - ao defender a rejeição do projeto que altera a CLT - que a nova regra, permitindo que acordos trabalhistas prevaleçam sobre a legislação, não permitirá a criação de novos empregos. "Tire-se do último balanço da Embratel todas as despesas com os empregados e poderá se constatar que ela continuará no prejuízo", afirmou. "Diante disso", questionou Pinheiro, "de que adiantará aprovar a nova regra?". O líder petista lembrou ainda que já foram criadas inovações na legislação trabalhista, como o banco de horas e o contrato de trabalho temporário, e que nem por isso o desemprego caiu no Brasil. Pinheiro discursou logo após o líder do PPB, Odelmo Leão (MG), que mostrou um acordo entre patrões e empregados mineiros que feria os direitos dos trabalhadores. Segundo ele, os trabalhadores recorreram à Delegacia Regional do Trabalho e as empresas tiveram que pagar todos os direitos. "Então está esclarecido: quando o acordo prejudica o trabalhador, a legislação em vigor pode protegê-lo", afirmou o líder do PPB, defendo a aprovação do projeto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.