Líder do PT busca alternativas para não cobrar inativos

O líder do PT na Câmara, Nelson Pellegrino (PT-BA), vai propor alternativas ao governo para evitar a cobrança previdenciária dos servidores inativos. Uma dessas alternativas, informou, seria a manutenção da alíquota de 0,38% da CPMF como forma de compensar os Estados. "Podemos fazer um trabalho conjunto com a reforma tributária", afirmou. O líder ressaltou que é necessário identificar qual a receita a ser gerada com a contribuição dos inativos, para encontrar saídas alternativas à taxação, que encontra fortes resistências no Congresso. "Pessoalmente gostaria de trabalhar com a possibilidade de não cobrar. Acho que não é politicamente conveniente", disse. O líder afirmou que a inclusão da cobrança dos inativos foi uma imposição dos governadores e, por isso, é preciso saber o que os levou a fazer a exigência. Com exceção da taxação dos inativos, Pellegrino afirmou que não tem dúvidas sobre a aprovação da reforma da Previdência no Congresso. "Mas acho que a bancada quer debater isso", observou. "Podemos construir uma alternativa e trabalho com este cenário", disse. Veja o índice de notícias sobre as reformas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.