Líder do PT afirma que Arthur Virgílio sugeriu adiar CPI

O líder do PT no Senado, Tião Viana (AC), disse que a sugestão de adiar a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquértio (CPI) destinada a investigar a remessa de US$ 30 bilhões por contas CC-5 ao exterior foi do líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM). Ainda segundo Viana, na reunião de hoje dos líderes com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), todos concordaram com o adiamento, considerando que este seria o caminho correto, enquanto a Polícia Federal aprofunda as investigações. O líder do PDT, Jefferson Peres (AM), disse que o governo, por meio do senador Aloizio Mercadante (SP), prometeu avançar nessas investigações. Peres afirmou que a Comissão de Fiscalização e Controle deverá ouvir procuradores do Ministério Público e delegados da Polícia Federal que estão trabalhando nesse caso. "Vamos acompanhar atentamente essas investigações", afirmou. Peres disse que dentro de 15 dias a PF deve mandar investigadores a Nova York. Ele espera que em três meses as investigações estejam concluídas. O requerimento para criação da CPI sobre essas remessas é de autoria do senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), que coletou novas assinaturas para sua criação, depois que a senadora Ideli Salvati (PT-SC) desistiu de apresentar o pedido, após já ter coletado o número suficiente de assinaturas para criação da CPI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.