Líder do PT acha que crítica do aliado PL não é crise

O líder do PT na Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (SP), defendeu hoje o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, das críticas do presidente do PL, Waldemar Costa Neto, que pediu a renúncia do ministro. Disse que essas críticas representam "uma opinião pessoal, mas, evidentemente, não contribuem para a construção da base de apoio" ao governo. Para ele, as declarações de Costa Neto, que pediu também a saída do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, não significam nem "a mais remota suspeita de uma crise".O líder do PT na Câmara afirmou que a recente denúncia de que Rogério Buratti - ex-secretário de Palocci na prefeitura de Ribeirão Preto (SP) - teria tentado extorquir a Gtech no processo de renovação de contrato com a Caixa Econômica Federal para exploração das loterias, mostra que as investigações da Polícia Federal "estão dando resultados".Chinaglia defendeu Palocci afirmando que "seria exigir demais" de um prefeito, governador ou outra autoridade pública que durante toda a vida responda por atos eventualmente irregulares de um auxiliar. "Esta ânsia policial por parte da oposição está na hora de refluir, pois tudo mostra que a investigação (da Polícia Federal) é para valer", disse o líder do PT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.