DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Líder do PSL demite assessor preso em operação contra roubo de carga

Delegado Waldir diz que ‘jamais irá compactuar com qualquer ato ilícito dos seus colaboradores’

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2019 | 22h45

O líder do PSL, Delegado Waldir (GO), demitiu nesta sexta-feira um de seus assessores por ele ter sido preso sob acusação de ter recebido R$ 100 mil para liberar uma carga roubada. 

Ex-oficial da Polícia Militar de Goiás e delegado, José Maria da Silva foi preso temporariamente por cinco dias. De acordo com o site G1, ele está entre os quase 100 presos em uma operação contra roubo de cargas e lavagem de dinheiro. Silva e outros três policiais civis são investigados por terem recebido R$ 100 mil de um homem que tinha sido preso por envolvimento com roubo e receptação de carga para reaver a mercadoria apreendida. 

Em nota, a assessoria do deputado afirmou que ele exonerou o funcionário assim que tomou conhecimento do caso. A nota diz ainda que a suposta conduta criminal teria ocorrido quando ele exercia a função de delegado na Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas – DECAR, entre 2013 e 2015. Silva foi cedido pelo governo goiano ao gabinete de Waldir, onde atuava na elaboração de projetos de lei, em 2016.

“O Delegado Waldir é um dos parlamentares mais atuantes no combate ao crime. Ele lamenta o ocorrido, porém jamais irá compactuar com qualquer ato ilícito dos seus colaboradores”, diz o texto.

A reportagem não conseguiu contato com a defesa de Silva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.