Líder do PSDB responsabiliza governo pela tensão no campo

Autor do requerimento que criou a Comissão Parlamentar de Inquérito do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse que a omissão do governo Lula é a responsável pelo aumento da tensão no campo - com destaque para o discurso do coordenador do Movimento dos Sem-Terra (MST) João Pedro Stédile pregando uma guerra contra os fazendeiros. O senador avaliou que o Planalto comete um erro ao tratar o MST como parceiro, entregando-lhe diretorias do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Virgílio acredita que a ameaça de Stédile aumenta as chances de instalação da CPI encarregada de apurar a violência no campo. "A CPI mais do que nunca está na ordem do dia." Sua expectativa é a de que as investigações comecem no mês que vem, mas os trabalhos da CPI dependerão do PMDB, aliado do governo que, embora tenha oito senadores apoiando a comissão, tende a não indicar seus representantes para satisfazer o Planalto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.