ANDRESSA ANHOLETE/ESTADAO
ANDRESSA ANHOLETE/ESTADAO

Líder do PSDB pede em plenário afastamento de Cunha

Mensagem assinada pela bancada tucana e lida por Carlos Sampaio diz que 'em nenhuma hipótese irá transigir com a ética exigida dos membros da Casa, ainda que defenda uma causa nobre, como é o impeachment da presidente Dilma Rousseff'

Daiene Cardoso, O Estado de S. Paulo

11 Novembro 2015 | 18h26

BRASÍLIA- Ignorado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o líder do PSDB Carlos Sampaio (SP) leu nesta quarta-feira, 11, a nota da bancada onde pede, de forma tímida, o afastamento do peemedebista do comando da Casa. Enquanto Sampaio lia a nota, Cunha se manteve boa parte do tempo de costas, conversando com o líder do PSD, Rogério Rosso (DF).

Na nota assinada pela bancada, os tucanos dizem que as explicações de Cunha sobre suas contas na Suíça são insuficientes diante da "contundência das denúncias e documentos" já conhecidos. Só no penúltimo parágrafo do texto o partido reitera "de forma ainda mas veemente" posição da nota de outubro, onde a oposição pediu o afastamento de Cunha.

"Em nenhuma hipótese, a bancada do PSDB irá transigir com a ética exigida dos membros desta Casa, ainda que defenda uma causa nobre, como é o impeachment da presidente Dilma Rousseff", finaliza a nota.

Ao final da leitura, Sampaio reforçou que a defesa prévia de Cunha não convenceu os tucanos e cobrou que o peemedebista apresente as provas documentais ao Conselho de Ética. 

O líder ainda apelou para que Cunha dê início ao processo de afastamento de Dilma, disse que o caso do peemedebista já estava em andamento na Casa e que o impeachment sequer fora iniciado. Para o tucano, o presidente da Câmara já tem todos os elementos técnicos e jurídicos para começar o processo contra Dilma. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.