Líder do PSDB no Senado afirma que projeto do foro precisa ser revisto

Segundo Paulo Bauer, a prerrogativa não pode ser simplesmente derrubada para posteriormente ser formulada uma nova regra

Sarah Teófilo, Especial para o Estado

28 Março 2017 | 19h39

BRASÍLIA - O líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer (SC), disse nesta terça-feira, 28, que  a bancada deve apresentar duas ou três emendas à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê o fim do foro privilegiado. "Precisamos ter certeza de que o foro privilegiado não será um problema", disse.

Apesar de confirmar as emendas, o senador afirmou que a intenção não é mudar a essência da proposta, mas que as questões do foro precisam ser bem definidas. De acordo com ele, a prerrogativa não pode ser simplesmente derrubada para posteriormente ser formulada uma nova regra. Conforme Bauer, no Brasil são 38 mil autoridades que se valem da prerrogativa de foro, dentre elas os parlamentares. "Não podemos fazer uma lei de foro privilegiado que, eventualmente, deveria tirar o direito ao foro privilegiado de 593 parlamentares e prejudicar 37,5 mil autoridades do judiciário", pontuou.

Em sua justificativa, o senador afirma que se o foro é eliminado e não há outra regra, autoridades passam a correr o risco de ter que responder a processos criminais em pontos distantes do país. "Um cidadão comum poderia entrar com uma ação criminal contra um ministro do STF, por exemplo. Você não pode submeter juízes de todo o paós a esse tipo de situação", disse. 

Questionado se a preocupação institucional se estende aos senadores, Bauer afirmou que o PSDB não tem preocupação alguma com o foro privilegiado. 

Mais conteúdo sobre:
BRASÍLIA PSDB Paulo Bauer PEC Brasil STF

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.