Líder do PSDB ironiza abstinência de Lula

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (PSDB-AM) ironizou, nesta terça-feira, o regime do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao requerer um voto de aplauso "pelo êxito de seu regime de emagrecimento e pela proeza decantada pelo senhor ministro Furlan, de ter passado como asceta durante 40 dias, sem abandonar os princípios da rígida abstinência". Virgílio se referia a uma afirmação feita na semana passada pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, de que o presidente não ingeria bebida alcoólica há 40 dias.A manifestação ocorreu antecedendo discurso que Virgílio fez para comentar, na tribuna, a comemoração dos 26 anos de existência do PT. Ele disse que estava requerendo, "de forma equilibrada", dois votos de aplauso: um a Lula e outro ao cantor Roberto Carlos, por uma afirmação que ele fez sobre as denúncias de corrupção neste governo. "Que o que aconteceu neste governo não se repita nunca mais e que a gente escolha um candidato que não nos decepcione", afirmou o cantor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.