Líder do PSDB diz ser favorável a CPI de Cartões em SP

Virgílio defende ainda que Serra e Lula abram todos os dados referentes aos gastos dos cartões do governo

ANNE WARTH, Agencia Estado

15 de fevereiro de 2008 | 17h12

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), disse nesta sexta-feira, 15, ser favorável à instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembléia Legislativa de São Paulo para investigar os cartões de débito utilizados pelos membros do governo de São Paulo. "Sou a favor de deixar ter a CPI. Se tem motivo, se tem fato determinado, não vejo porque se deva obstruir", opinou.   Veja também:   Entenda a crise dos cartões corporativos  Guerra não descarta abertura de CPI dos cartões no Senado Governo não abre mão de comando da CPI Virgílio defendeu, ainda, que tanto o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), quanto o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), abram todos os dados referentes aos gastos dos cartões por membros do governo federal e estadual. "Sou a favor de que o governo Serra abra todos os dados. O que eu quero do Lula é isso. E se Lula abrisse os dados completamente, eu não veria necessidade de fazer a CPI", explicou.Arthur Virgílio defendeu também a negociação entre PSDB e DEM para decidir quem será o candidato da coligação à Prefeitura de São Paulo. Ele ressaltou também que o resultado das conversas entre os partidos deve agradar aos dois pré-candidatos, e não simplesmente ser imposta por qualquer um deles. "   Se Alckmin falar que é candidato, quem vai dizer que ele não é? Serviu para ser candidato à Presidência, não vai servir para ser candidato à Prefeitura de São Paulo?", comentou. "Mas se ele disser que é candidato a outra coisa, como governador ou presidente, será uma ótima solução", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.