Líder do PSDB diz que não negocia tópicos da CPI

O líder do governo na Câmara, Arnaldo Madeira (PSDB-SP), disse esta manhã que o deputado Aloízio Mercadante (PT-SP) o procurou hoje para conversar sobre a eventual instalação da CPI a Corrupção. Segundo Madeira, Aloízio queria negociar alguns itens que seriam objetos preferenciais da investigação. O líder do governo disse que não aceitou negociar o assunto, alegando que, se a CPI for instalada, deve-se nomear um relator para cada um dos fatos a serem apurados, indicados no requerimento.Madeira disse, ainda, que a exoneração do ministro do Trabalho, Francisco Dornelles (PPB), para reassumir o mandato de deputado federal e trabalhar contra a instalação da CPI da Corrupção foi uma decisão pessoal do ministro. O líder insinuou, no entanto, que outros deputados licenciados deverão reassumir seus mandatos no lugar de suplentes com o mesmo objetivo. "Estão voltando mais aí", disse Madeira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.