Líder do PSB na Câmara defende repasse da Cide a Estados

O líder do PSB na Câmara e senador eleito, Renato Casagrande (ES), defendeu nesta terça-feira um repasse de 45% da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) - imposto sobre os combustíveis - aos governadores e prefeitos, já que são eles que freqüentemente estão fazendo obras de manutenção nas rodovias.Com relação ao repasse de 20% da CPMF para os Estados e de 10% para os municípios, defendido pelos governadores na segunda-feira, Casagrande acha que o assunto deve ser melhor discutido. Ele disse que o Congresso vai analisar as propostas de todos os interessados - governos federal e estaduais - para a votação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).O deputado acredita que "infelizmente" a disputa dentro da base aliada para a eleição à presidência da Câmara poderá provocar atrasos na votação do PAC. Na opinião de Casagrande, o desafio do presidente eleito será unificar a base e se tornar o protagonista da aprovação do PAC.Conselho PolíticoCasagrande participou nesta terça-feira da reunião entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Conselho Político da coalizão, no Palácio do Planalto. De acordo com ele, na ocasião, Lula pediu união aos partidos. "O presidente fez um apelo pela unificação em torno do PAC e lamentou que a base não esteja unificada em torno da sucessão na Câmara", relatou a jornalistas o líder do PSB.Segundo Casagrande, o Executivo está disposto a dialogar com os governadores sobre a pauta de reivindicações por uma maior partilha de recursos. Ele disse ainda que Lula não fixou prazo para a aprovação do PAC, mas afirmou que irá romper com a tese negativa de que o segundo mandato será pior do que o primeiro. "Ele disse que vai trabalhar ainda mais agora do que trabalhou nos últimos quatro anos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.